Quem está online?

Nós temos 6 visitantes online
10 mitos da cerveja! PDF Imprimir E-mail
Escrito por Alevinicius   
Qua, 27 de Agosto de 2008 16:25

Pingaiados e pingaiadas de plantão. Vamos agora a alguns mitos sobre nossa querida e amada cerveja, ou breja, ou loiruda, enfim, chamem do que for. Vamos lá:

Breja

1.   Cerveja light é melhor: as cervejas light têm, em média 95 calorias, enquanto as convencionais tem 200. A não ser que você realmente não possa tomar bebidas com açúcar, ou beba mais de 100 cervejas por semana, pode ficar com a tradicional!

2.   Cerveja escura tem mais álcool: a cor da cerveja depende do malte torrado e não está relacionada ao teor alcoólico.

3.   Gelar, esquentar e refrigerar a cerveja novamente a estraga: a temperatura, a não ser em condições extremas, não influencia no sabor. Já o ar, a luz e o tempo podem sim, estragá-la.

4.   Cerveja nos Estados Unidos têm menos álcool: na verdade esse mito começou porque algumas pessoas vêem a diferença no rótulo, pois lá o teor alcoólico é medido por peso, e não por volume, como estamos acostumados. Como a cerveja pesa menos que a água, os números nos rótulos americanos são menores.

5.   A cerveja Guinness servida na Irlanda é melhor: não há motivos para isso, uma vez que os processos de fabricação das cervejas são muito baixos. A única diferença real está no frescor da bebida, devido ao tempo do transporte da exportação.

6.   A cerveja não deveria ser amarga: os maltes doces são os responsáveis pelo gosto amargo da bebida e Breja2agem como conservante.

7.   As garrafas verdes contém as melhores cervejas: as garrafas que mais protegem a cerveja são as marrons, pois filtram melhor a luz, que pode estragar a bebida. Esse mito vem da Segunda Guerra Mundial, época em que os europeus só consumiam cervejas importadas, engarrafas em vidro verde, devido à escassez local.

8.   Cervejas da Tailândia contêm formaldeído: o formaldeído é um composto químico muito forte, que pode causar danos a saúde. É claro que isso é um absurdo, mas o mito surgiu porque as cervejas fabricadas em Singha contêm mais álcool e são mais amargas. Durante a guerra, os soldados americanos e ingleses ficavam bêbados mais fácil e rapidamente na Tailândia, e sentiam um amargo muito mais intenso.

9.   Urina mexicana na Corona: esse boato surgiu na década de 80, espalhado pela concorrente Heineken, que sugeria que os trabalhadores da fábrica de cervejas Corona estavam urinando nos tanques que seriam exportados para os EUA. A popularidade da marca diminuiu.

10.  Mulheres não gostam de cerveja: Absurdo! Inclusive, algumas mulheres bebem muito mais do que homens e geralmente são mais resistentes ao álcool que os homens.

 Beer